Bancos não poderão mais recusar pagamentos de boletos

Projeto de lei determina que bancos não poderão mais recusar o recebimento de contas e taxas diversas, inclusive boletos bancários de outras instituições.

0
24

A Câmara Municipal aprovou, no dia 08 de março, o projeto de lei nº 1716/2016, de autoria do vereador Reimont, que facilitará a vida de milhões de cidadãs e cidadãos do Rio. A proposta, que teve 35 votos favoráveis e dois contrários, determina que os bancos não poderão mais recusar o recebimento de contas de consumo – como água, luz, telefone e taxas diversas – e de boletos bancários, inclusive de outras instituições, desde que dentro do prazo de vencimento. Além disso, estabelece que não haja qualquer tipo de distinção no atendimento entre clientes e não clientes. O projeto de lei segue, agora, para ser sancionado pelo prefeito.

Na defesa do projeto, no plenário, Reimont destacou que “uma agência bancária não pode negar atendimento a uma pessoa que, por exemplo, tem dificuldade de acessar uma máquina. O banco não pode negar o atendimento presencial. Compreendo que o capital não pode estar à frente do trabalho. Hoje, o país convive com um governo ilegítimo, que tem destruído postos de trabalho. Nós estamos tentando garantir que o trabalhador bancário tenha o seu posto preservado. O que os bancos fazem é explorar e explorar. O Itaú teve, só em um semestre, R$ 13 bilhões de lucro. Isso não é fruto de trabalho, não; isso é fruto da exploração”.

Para cumprir a lei que define um prazo limite de tempo de espera por atendimento, os bancos empurram os clientes para outros canais de atendimento que não seja o guichê da agência, distorcendo a legislação e gerando o esvaziamento da atividade bancária. Restringir o acesso de clientes e usuários aos serviços está em desacordo com a função social dos bancos, pois o guichê de caixa faz parte da atividade-fim das instituições financeiras: realização de operações de pagamentos, recebimentos, saques e depósitos.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.