Minha casa, minha vida de rico

Desde que o usurpador assumiu a presidência, já cortou 83% das verbas do programa

0
7

Por falar em moradia popular, temos que denunciar o descaso do governo golpista de Michel Temer com esse problema. A prova é que, nos cortes de verba do programa Minha Casa, Minha Vida, ele resolveu castigar a população mais empobrecida. Desde que o usurpador assumiu a presidência, já cortou 83% das verbas do programa, prejudicando, principalmente, as famílias com renda até R$ 1.800,00.

Ele mudou os objetivos do Minha Casa, Minha Vida. Até 2015, as famílias de menor renda receberam a maior parte dos R$ 20,7 bilhões destinados ao programa, que foi lançado e ampliado nos governos Lula e Dilma.

Mas Temer diminuiu esse valor para apenas R$ 3,6 bilhões. No primeiro trimestre de 2018, só 17% dos 125.475 imóveis contratados foram para as famílias de menor renda. Já nos governos Lula e Dilma, as moradias populares representaram 60% dos contratos.

Sem o programa a crise habitacional no país estaria muitíssimo pior. De 2009 até o golpe, o programa contratou a construção de 4,5 milhões de unidades, gerando 2,8 milhões de empregos diretos e mais 2,9 milhões de indiretos. Do total de imóveis encomendados, 3,2 milhões foram entregues à população de baixa renda, beneficiando cerca de 11 milhões de pessoas.

O Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009, foi considerado, pela ONU, “um exemplo para o mundo”. Mas, com tantos cortes, virou programa de rico. Assim, fica difícil.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui