O samba entra na Câmara e pode virar lei

Mais de 100 profissionais do samba estiveram na reunião sobre o PL 1995/2016, de Salvaguarda, Fomento e Incentivo ao Samba Carioca, de autoria de Reimont.

0
36

Mais de 100 profissionais do samba e da Cultura – entre músic@s, cantor@s, compositor@s, passistas e produtor@s – participaram da reunião organizada pelo mandato do vereador, no dia 23 de maio, para discutir o projeto de lei 1995/2016, que pretende instituir o Programa Municipal de Salvaguarda, Fomento e Incentivo ao Samba Carioca, de autoria do parlamentar.

Diante de uma plateia de muitas estrelas dos palcos, a mesa do encontro conduzido por Reimont, no Salão Nobre da Câmara, foi formada pela secretária Nilcemar Nogueira, da Cultura, e por Nilcea Freire, ex-ministra  e hoje presidente do Museu do Samba, Raquel Valença (professora, pesquisadora e escritora), Eduardo Familião, (cantor, compositor e integrante do Movimento Samba Moeda Matriz), Rogério Família (da Rede Carioca de Rodas de Samba), Zé Luis do Império (intérprete e compositor do Império Serrano), Tantinho da Mangueira (intérprete e compositor da Estação Primeira), João Grand Júnior (pesquisador), Marquinhos de Oswaldo Cruz (intérprete , compositor da Portela e articulador cultural), e pelo veterano cantor e compositor Ivan Milanez.

A secretaria Nilcemar, cuja vida é estreitamente ligada ao samba – sendo neta de D. Zica e Cartola e ex-presidente do Museu do Samba – adiantou que pretende apoiar o projeto. O mesmo fizeram os vereadores Tarcísio Motta e Renato Moura, membros da Comissão de Cultura, junto com Reimont, que irão trabalhar para a aprovação do texto no plenário da Câmara. A expectativa é que o PL entre na pauta de votação na próxima semana.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui