O samba entra na Câmara e pode virar lei

Mais de 100 profissionais do samba estiveram na reunião sobre o PL 1995/2016, de Salvaguarda, Fomento e Incentivo ao Samba Carioca, de autoria de Reimont.

0
56

Mais de 100 profissionais do samba e da Cultura – entre músic@s, cantor@s, compositor@s, passistas e produtor@s – participaram da reunião organizada pelo mandato do vereador, no dia 23 de maio, para discutir o projeto de lei 1995/2016, que pretende instituir o Programa Municipal de Salvaguarda, Fomento e Incentivo ao Samba Carioca, de autoria do parlamentar.

Diante de uma plateia de muitas estrelas dos palcos, a mesa do encontro conduzido por Reimont, no Salão Nobre da Câmara, foi formada pela secretária Nilcemar Nogueira, da Cultura, e por Nilcea Freire, ex-ministra  e hoje presidente do Museu do Samba, Raquel Valença (professora, pesquisadora e escritora), Eduardo Familião, (cantor, compositor e integrante do Movimento Samba Moeda Matriz), Rogério Família (da Rede Carioca de Rodas de Samba), Zé Luis do Império (intérprete e compositor do Império Serrano), Tantinho da Mangueira (intérprete e compositor da Estação Primeira), João Grand Júnior (pesquisador), Marquinhos de Oswaldo Cruz (intérprete , compositor da Portela e articulador cultural), e pelo veterano cantor e compositor Ivan Milanez.

A secretaria Nilcemar, cuja vida é estreitamente ligada ao samba – sendo neta de D. Zica e Cartola e ex-presidente do Museu do Samba – adiantou que pretende apoiar o projeto. O mesmo fizeram os vereadores Tarcísio Motta e Renato Moura, membros da Comissão de Cultura, junto com Reimont, que irão trabalhar para a aprovação do texto no plenário da Câmara. A expectativa é que o PL entre na pauta de votação na próxima semana.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.