Ônibus pode ter reajuste antes da climatização total da frota

O vice-prefeito Fernando Mac Dowell, sugeriu, em reunião com empresários, que o aumento pode ocorrer em junho, independentemente da conclusão da climatização dos coletivos.

0
3

Após ter declarado à imprensa que não pretende autorizar reajustes nas passagens de ônibus até que toda a frota esteja equipada com ar-condicionado, o vice-prefeito e Secretário Municipal de Transportes, Fernando Mac Dowell, sugeriu, em reunião com empresários do setor, que o aumento pode ocorrer em junho, ou até mesmo antes, independentemente da conclusão da climatização dos coletivos. Pela proposta, a tarifa passaria de R$ 3,80 para R$ 3,95 — o mesmo valor que o ex-prefeito Eduardo Paes havia indicado no fim do ano passado, mas desistiu de autorizar depois que Mac Dowell afirmou ser contra a decisão.

Os empresários, no entanto, reivindicam que o aumento seja aplicado com base na planilha de custos estabelecida no contrato de concessão das linhas, assinado em 2010, pelo então prefeito, Eduardo Paes. Isso poderia fazer com que a tarifa passasse de R$ 4,10. A planilha toma como base custos das empresas com mão de obra, substituição da frota e combustível. Desde 2010, esses indicadores são fornecidos à prefeitura pelas próprias empresas. A Secretaria Municipal de Transportes informou que o reajuste da tarifa de ônibus continua suspenso até análise conclusiva dos dados obtidos em relação à concessão e até que se resolva técnica e juridicamente a questão da climatização da frota.

Em 2014, a prefeitura estabeleceu o prazo de dezembro de 2016 para que todos os ônibus fossem climatizados. Como a meta não foi cumprida, o Ministério Público recorreu à justiça. Em janeiro deste ano, a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, manteve a decisão judicial que prevê multa de R$ 20 mil para a prefeitura, por cada veículo sem ar-condicionado.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui