Pagaram o pato

O golpe de Temer e seus cúmplices reverte a ascensão social promovida pelos governos Lula e Dilma, que foi um dos grandes fenômenos sociais do nosso país, com repercussão mundial.

0
4

Mais de 900 mil brasileiras e brasileiros – muitos que foram às ruas para derrubar a presidenta Dilma Rousseff -, acabaram violentamente derrubados por Temer: em 2017, eles deixaram as classes A e B e passaram a engrossar a classe C. A informação é do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do banco Bradesco e da consultoria LCA.

Segundo o banco, só a classe A – das famílias com renda mensal superior a R$ 19.080,00 – perdeu 500 mil integrantes. Já nas contas da LCA, o Sudeste foi a região mais afetada, onde, em 2017, as classes A e B encolheram 2,5%.

Boa parte das pessoas que desceram o degrau social passou a integrar a classe C, que chegou a 113,1 milhões de pessoas, no ano passado. Nos governos do Lula e Dilma, a classe C aumentou graças à ascensão social; agora, aumenta porque muitas famílias estão descendo na escala social.

A ascensão social promovida pelos governos do PT foi um dos grandes fenômenos sociais do país, com repercussão mundial. Quase 19 milhões de pessoas passaram a integrar essa nova classe média de 2007 a 2012, impulsionada pelo crescimento econômico, oferta de empregos e crédito mais farto. Mais brasileiros viajaram, compraram carro e entraram na faculdade. O golpe acabou com essa escalada.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui