Passagem de ônibus poderia custar R$ 1,05

Você sabia que a passagem de ônibus poderia ser muito mais barata?

0
26

Você sabia que a passagem de ônibus poderia ser muito mais barata? Pois é o que mostra o estudo realizado pela empresa PricewaterhouseCoopers (PwC). O levantamento foi feito entre 2014 e 2016, por encomenda da própria Prefeitura, mas só agora foi divulgado, depois de muita insistência do site Agência Pública.

Segundo esse estudo, só com o combate a fraudes e uma ajuste de horários e frota, a redução da tarifa poderia ser de 30 a 80 centavos. Mas, se houvesse uma revisão integral da malha, o desconto seria ainda maior – de 75 centavos a R$ 1,25. Ou seja, a passagem, que custava R$ 3,00, em 2016, poderia custar apenas de R$ 1,05 a R$ 2,05. Isso, se Eduardo Paes tivesse decisão. Ele não teve, mas Crivella precisa ter.

O estudo da PwC mostra que as empresas de ônibus mandam e desmandam no Rio. E prova que não é verdade que estejam com “problemas de caixa”, como argumentam, por exemplo, quando a gente defende que o fim da dupla função dos motoristas de ônibus e a recontratação dos cobradores. A medida é urgente e fundamental para a segurança das viagens, dos passageiros e dos motoristas. Na última semana, mais um acidente de ônibus, desta vez no Grajaú, pode ter sido causado pelo estresse emocional provocado pela dupla função, segundo o próprio secretário de Transportes e vice-prefeito, Fernando Macdowell.

Realmente, ninguém aguenta dirigir, ficar de olho no trânsito, receber dinheiro e dar troco, liberar a catraca, ficar de olho na porta de saída e movimentar o sistema de acesso a cadeirantes, tudo ao mesmo tempo. Perdem os motoristas, perdem os passageiros, perde o trânsito e perdem os milhares de cobradores que ficaram sem seus empregos pela ganância dos empresários de ônibus. Isso precisa acabar!

Pela aprovação do PL 129-A/2007, que acaba com a Dupla Função e garante a volta dos cobradores!

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.