Uma história para além da escravidão

Representantes do movimento negro e da UFRJ se reuniram com o vereador Reimont para discutir a instalação de um museu com a história da diáspora africana rumo ao Brasil.

0
79

Representantes de diversos movimentos e entidades nacionais e locais do movimento negro e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) se reuniram com o vereador Reimont, no dia 12 de abril, para discutir o projeto de instalação de um museu com a história da diáspora africana rumo ao Brasil, que a prefeitura vem chamando de Museu da Escravidão e da Liberdade (MEL). Foram discutidas a denominação e a concepção do museu, argumentando que não se pode reduzir a memória dos negros à escravidão, omitindo suas ancestralidades, história, cultura, diversidade etc.

O encontro foi solicitado pela Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil (CEVENB), com o objetivo de preparar uma Audiência Pública sobre o tema e levar opiniões e sugestões para a secretária municipal de Cultura. Além da CVENB, participaram representantes da UNEGRO – União de Negros pela Igualdade, do Quilombo Pedra do Sal, do Quilombo Sacopã, da Superintendência da Promoção da Igualdade Racial e do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ.

O vereador vai agendar uma nova reunião sobre o tema, com a participação destas e outras representações do movimento negro.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.