Uma história para além da escravidão

Representantes do movimento negro e da UFRJ se reuniram com o vereador Reimont para discutir a instalação de um museu com a história da diáspora africana rumo ao Brasil.

0
60

Representantes de diversos movimentos e entidades nacionais e locais do movimento negro e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) se reuniram com o vereador Reimont, no dia 12 de abril, para discutir o projeto de instalação de um museu com a história da diáspora africana rumo ao Brasil, que a prefeitura vem chamando de Museu da Escravidão e da Liberdade (MEL). Foram discutidas a denominação e a concepção do museu, argumentando que não se pode reduzir a memória dos negros à escravidão, omitindo suas ancestralidades, história, cultura, diversidade etc.

O encontro foi solicitado pela Comissão Estadual da Verdade da Escravidão Negra no Brasil (CEVENB), com o objetivo de preparar uma Audiência Pública sobre o tema e levar opiniões e sugestões para a secretária municipal de Cultura. Além da CVENB, participaram representantes da UNEGRO – União de Negros pela Igualdade, do Quilombo Pedra do Sal, do Quilombo Sacopã, da Superintendência da Promoção da Igualdade Racial e do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ.

O vereador vai agendar uma nova reunião sobre o tema, com a participação destas e outras representações do movimento negro.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui