Energia é soberania

Em artigo, Reimont rejeita o projeto de privatização da Eletrobras, que ameaça a soberania e o desenvolvimento do país, e denuncia manobra para testar a venda de outras importantes estatais.

0
3

O governo golpista, com a cumplicidade de um dos piores Congressos da nossa História, dá mais um passo na venda do Brasil. No último dia 09/05, a comissão especial da Câmara Federal e do Senado, que analisa a MP do Temer de privatização da Eletrobras, aprovou o relatório do deputado Júlio Lopes (PP-RJ), que tornou o projeto ainda pior, tanto para as pessoas como para o país.

Um dos maiores disparates do texto é a criação do DUTOGAS, um fundo destinado a financiar a construção de gasodutos, usando 20% dos recursos do fundo SOCIAL do pré-sal, que a legítima presidenta Dilma Rousseff havia direcionado para Saúde e a Educação.

A privatização da Eletrobras, que em breve será votada no plenário da Câmara e do Senado, é um crime contra os consumidores, pois vai elevar a conta de luz; o AUMENTO deverá ser de 6%, no mínimo. É também um crime contra a soberania nacional, já que a empresa é essencial para garantir projetos de desenvolvimento industrial. E é um crime contra os cofres públicos, já que a Eletrobras será oferecida a preço de banana; os golpistas esperam conseguir de 20 a 30 bilhões de reais, mas isso representa menos de 10% do valor do parque hidrelétrico da empresa, avaliado em R$ 400 bilhões.

A ofensiva contra a Eletrobras parece um teste para a venda de outras quatro grandes estatais – a Petrobras, os Correios, a Caixa e o Banco do Brasil. Isso é de extrema importância para o Rio, que serve de sede a essas cinco empresas. É preciso reagir firme e rapidamente contra esse ataque ao nosso patrimônio.

#reimont

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui