O Rio de Janeiro precisa respirar

será que o Rio será um “paliteiro” de cimento, com mais e mais imóveis?

0
28

Os espaços da cidade estão abandonados e ameaçados pela especulação imobiliária, com total apoio do prefeito Crivella. E a gente se pergunta: será que o Rio será um “paliteiro” de cimento, com mais e mais imóveis? 

Infelizmente, parece que esta é a intenção do prefeito. Tentou e tenta fazer isso em áreas ocupadas, como Rio das Pedras e a comunidade da Muzema, e também em espaços verdes, como o Parque do Realengo e a exuberante Floresta de Camboatá, em Deodoro.

Agora, Crivella anuncia o plano de privatizar a Praça Mário Lago, no Centro, uma área de 2,5 mil m², popularmente conhecida como Buraco do Lume. A iniciativa ocorre um mês depois de parte do terreno, cujo espólio pertenceria a Bradesco Seguros, ser vendido em leilão, em São Paulo. Segundo O Globo, o negócio foi fechado por R$ 8,4 milhões e teve um único candidato/comprador, cujo nome é mantido em sigilo.

Para obter o apoio da Câmara dos Vereadores, Crivella justifica que a praça é um “espaço vazio, cuja ocupação fica por conta da população em situação de rua”. O prefeito demonstra preconceito, como se os empobrecidos não tivessem direito às praças, e despreza o conceito de ocupação social, que também é feita por debates públicos, shows, futebol, feiras de artesanato, manifestações civis.

Nessa desinformação, o prefeito aproveita para omitir as intenções do projeto, que está coberto por tanto mistério que nem passou pela análise dos técnicos da Secretaria Municipal de Urbanismo. Qual o objetivo de liberar mais construções no Centro, onde existem centenas de salas vazias? Responde, Sr. prefeito!

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.