Sambódromo na agenda da Comissão de Cultura

GT, com presença de Reimont, para avaliar segurança do trabalho no Carnaval, especialmente no Sambódromo.

0
28

A formação de um grupo de trabalho para avaliar a segurança do trabalho no Carnaval, especialmente no Sambódromo – com a participação do Corpo de Bombeiros, da Liesa, da Riotur, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, do Ministério Público e do Poder Judiciário – foi um dos resultados da Audiência Pública, promovida pela Comissão de Cultura da Câmara, no dia 21.

A primeira reunião do grupo já tem local e objetivos bem definidos – será uma visita técnica ao Sambódromo.

A audiência foi solicitada pelo Sindicato dos Jornalistas, em razão dos problemas ocorridos este ano na Passarela do Samba, como nos acidentes com carros alegóricos, que atingiram oito radialistas, com uma vítima fatal – a jornalista Elizabeth Ferreira Joffe, mais conhecida como Liza Carioca.

Reimont, presidente da Comissão de Cultura, lembrou que, embora destinado a tratar da segurança da imprensa, o GT também deveria dar atenção a situação dos milhares de profissionais que trabalham no local.

“No Sambódromo, trabalham motoristas, técnicos, passistas, destaques, empurradores, médicos, músicos … são muitas as profissões que ajudam a fazer a festa dos desfiles.”

Na mesma linha, o diretor do Sindicato, Fábio Tubino, apresentou um estudo sobre a precariedade da segurança do trabalho no Sambódromo.

O representante da Liesa, Luis Gustavo Mostof, adiantou que, já em 2018, haverá mudança na circulação pela área de Concentração. O tenente-coronel André Freire, do Corpo de Bombeiros, informou que serão criadas normas de segurança específicas para a construção dos carros alegóricos.

Também compuseram a mesa o juiz federal Wilson José Witzel, a procuradora regional do trabalho, Cynthia Simões, o diretor da Riotur, Bruno Mattos, o jornalista Anderson Baltar, o assessor da Secretaria Municipal de Ordem Pública, Sérgio Ramalho e os vereadores Renato Moura e Tarcísio Motta, da Comissão.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui