Falta trabalho para 27,7 milhões de brasileiros

Os números são devastadores - a falta de trabalho é uma tragédia nacional, que atinge quase 28 milhões de brasileiras e brasileiros. E é ainda pior para mulheres, pardos e pretos.

0
59

A taxa de subutilização da força de trabalho no Brasil atingiu um nível recorde no primeiro trimestre de 2018, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número chegou a 27,7 milhões de trabalhadores subutilizados, o que corresponde a 24,7% da força de trabalho do país. Este é o maior percentual desde 2012. São consideradas subutilizadas as pessoas que estão desempregadas; as disponíveis para trabalhar mais horas, mas que não encontram essa oportunidade; as que gostariam de trabalhar, mas desistiram de procurar, e as que procuraram, mas não preenchiam as exigências para o trabalho.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), que também informa que o contingente de desalentados, que desistiu de procurar emprego, é de 4,6 milhões de pessoas. No último trimestre de 2017, esse grupo somava 4,3 milhões de pessoas.

Essa triste população desalentada reúne pessoas que estão fora da força de trabalho por não conseguir um emprego adequado, não ter experiência ou qualificação, serem consideradas muito jovens ou idosas, ou não haver trabalho na localidade em que residem. A taxa de desalento atinge 4,1% da força de trabalho ampliada no Brasil e é mais intensa na região Nordeste, com 9,7%.

 

Se a crise é geral, ela não é igual para todos. Uns sofrem mais do que os outros. Segundo reconhece o IBGE, os grupos mais afetados por essa falta de trabalho são os pretos, seguidos dos pardos e das mulheres.

A taxa de desocupação, no primeiro semestre de 2018, foi de 15% para mulheres e de 11,6% para homens. Entre os que se declaram brancos, a índice de desemprego ficou em 10,5%, enquanto a dos pretos foi de 16,0% e a dos pardos ficou em 15,1%.

Ou seja, o golpe mostra que tem lado, gênero e cor.

Só a recuperação dos nossos direitos pode mudar essa tragédia.

Comentários

comente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor entre digite seu nome aqui